Em alusão ao Dezembro Laranja, unidade realizou palestra sobre a importância do cuidado pessoal com a pele e alertou sobre o surgimento de lesões suspeitas

A Policlínica Estadual da Região do Vale do São Patrício – Goianésia realizou nesta terça-feira, 7, uma palestra em alusão ao Dezembro Laranja, mês de combate ao câncer de pele. Para conscientizar o público interno da unidade de saúde sobre a importância do cuidado pessoal com a pele e alertar sobre o surgimento de lesões suspeitas, a médica dermatologista Rebeca da Costa Silva Paz abordou sobre o tema.

De acordo com Rebeca, o câncer de pele é o câncer mais frequente no Brasil, sendo o mesmo de maior gravidade e mortalidade. “Normalmente este tipo de câncer é diagnosticado tardiamente, já em estágio avançado da doença. no Brasil, a exposição excessiva à radiação solar ultravioleta (UV) A e B é o principal fator de risco para o desenvolvimento da patologia”, explica.

A médica apresentou fotos de lesões suspeitas, como forma de orientar o público na descoberta da doença precocemente. Rebeca ressalta que o diagnóstico só deve ser feito após um exame detalhado da pele de cada indivíduo, e logo em seguida coleta de biópsia do tecido afetado, que só pode ser realizado por médico. “Além desse exame, conhecido como anatomopatológico, técnicas moleculares despontam como boas opções para diagnóstico identificando mutações para classificar e determinar até o tipo de tratamento mais adequado ao paciente, dando a cada indivíduo a melhor opção terapêutica para aquele tipo de tumor”, afirma.

Para a palestrante, a conscientização da população e da classe médica sobre o melanoma segue como fator decisivo. “Conhecimento é fundamental. As pessoas precisam aprender a reconhecer sinais de alerta, que podem incluir: pintas novas e incomuns; assimetria ou irregularidade da borda; mudança de cor; alterações em uma pinta existente; escurecimento da pele ou nódulos e sangramento ou ferida que não cicatriza. É vital uma cultura que dê importância para o autoexame periódico, incluindo partes do corpo como as costas e locais de difícil visualização”, destaca Rebeca.

A médica reforçou as medidas de prevenção. “Vivemos em um país onde as radiações ultravioletas são constantemente altas, um dos fatores que mais influencia no desenvolvimento do câncer da pele. É importante reduzir a exposição ao sol, com uso de chapéu, camiseta, óculos escuros (para prevenir lesão do olho) e de protetor solar fator 30, no  mínimo. Sempre que possível, evitar exposição ao sol entre 11h e 16h, quando a radiação UV é máxima. Não se esqueçam, crianças com menos de 6 meses não devem utilizar protetor solar e ficar expostas ao sol, como se vê frequentemente”, finalizou.

Ajustar fonte