Unidade recebeu a carreta do Hemocentro e fez busca entre pacientes, usuários e colaboradores para aumentar número de doadores. Meta foi de 80 captações em pleno feriado

A Policlínica Regional de Goianésia promove nessa quinta-feira, 24, uma campanha de doação de sangue com captação feita pela carreta do Hemocentro de Goiás. A atitividade é o ponto alto da Campanha Junho Vermelho cujo lema é “Doe Sangue, Doe Vida” e que foi encampada pela unidade da Rede Estadual de Saúde.

Segundo a diretora da Policlínica, Deise Bosso, foi feita durante a semana uma ampla divulgação entre colaboradores, usuários da Policlínica e pacientes que buscam a unidade visando aumentar o número de doadores. “Temos por meta atingir o número de 80 doadores que é a capacidade diária de captação e nosso público foi muito receptivo a esse apelo para ajudar quem necessita de sangue”, frisa.

O sangue coletado vai reforçar os estoques do Hemocentro e será distribuído para as unidades de assistência sempre que solicitados e fizerem parte do Complexo Regulador do Estado. Em Goianésia o dia escolhido foi até providencial por ser feriado na cidade (aniversário de fundação).

A assistente social Déborah Godinho de Menezes coordenou o trabalho de divulgação da campanha de doação de sangue na Policlínica e comemorou a adesão. Ela ressalta que o número de doadores de sangue no Brasil ainda é baixo e que isso precisa ser trabalhado de forma cultural para a população participar de forma mais ativa.

“Sangue é fundamental para muitos pacientes, como portadores de câncer e outras enfermidades e a falta desse insumo importante é muito preocupante. Hoje esperamos atingir no mínimo 80% dos doadores que agendamos porque vai representar um incremento grande para os estoques do Hemocentro”, observa. Ela própria doou sangue e incentivou colegas da Policlínica a também doarem.

A dona de casa Vanda Rocha Gomes chegou cedo na Policlínica para buscar resultado de exames do marido e nem se lembrou do feriado na cidade. Mesmo assim a unidade estava aberta para a captação de sangue e ela entrou no clima. “Vou doar porque sei o quanto isso é importante e pra gente não custa nada, apenas um pouco de sangue. Sabemos que muitas pessoas precisam e essa é uma forma de dar amor também. Vou participar mais vezes e dar testemunho para que outras pessoas também façam isso”, finaliza.

Ajustar fonte