Com a inauguração da Policlínica foi possível regionalizar a saúde no Vale do São Patrício. Agora, municípios contam com 18 especialidades médicas, exames de alto custo e, em breve, hemodiálise

Local oferece exames de alto custo, como tomografia computadorizada, além de testes laboratoriais e mamografia. Unidade é referência para 60 cidades da região.

A entrega da Policlínica de Goianésia pelo Governo de Goiás representou um avanço significativo para os moradores da cidade e de toda a região do Vale do São Patrício. Inaugurada na semana passada pelo governador Ronaldo Caiado e pelo secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, a unidade conta com diversas especialidades médicas para consulta da população e exames de alto custo, como tomografia computadorizada, ultrassonografia e mamografia.

Criadas para prestarem assistência especializada após os pacientes receberem um primeiro atendimento na rede de Atenção Primária (postos de saúde), as Policlínicas oferecem especialidades que antes eram de mais difícil acesso para as pessoas, por estarem concentradas em Goiânia e região Metropolitana. Consultas em oftalmologia, hematologia, ortopedia, gastroenterologia, entre outras, são disponibilizadas pelo Estado por meio da regulação estadual.

A moradora de Goianésia Ellen Cristyina Lopes Aragão Soares, de 32 anos e mãe de dois filhos, comentou a facilidade que é para quem vive na cidade e região acessar esses serviços. “Antes havia uma dificuldade em consultar com um médico especialista e agora temos isso mais fácil e rápido aqui mesmo, sem necessidade de ir para outra cidade procurar e nem ficar na fila esperando. Além disso, há a facilidade de exames de alto custo que teremos disponíveis aqui e tudo de graça”, comemora.

A Policlínica de Goianésia foi a segunda unidade da rede estadual de Saúde colocada em funcionamento pelo governador Ronaldo Caiado; a primeira foi entregue em Posse, no Nordeste goiano. Ambas funcionam de segunda-feira a sexta-feira em horários fixos os pacientes encaminhados pela regulação estadual. Os locais não atendem como “porta aberta”, recebendo demanda espontânea, como hospitais de urgência e prontos-socorros. Assim, é possível agendar o atendimento com mais facilidade e segurança, o que significa maior comodidade para a população.

O diretor administrativo da Policlínica de Goianésia, Thadeu Grembecki, explica que a meta é colocar em funcionamento pleno as especialidades previstas para a unidade dentro do menor prazo possível. “Temos por meta prestar um serviço de saúde de excelência e altamente humanizado para a população da cidade e região”, frisa Thadeu. Ele ressalta que a implantação da hemodiálise na Policlínica está em fase de estudos. “Teremos também esse serviço de alta importância e de facilidade para a população”, finaliza o diretor.

Hélmiton Prateado/Instituto Cem
Foto: Instituto Cem

Ajustar fonte